30.1.09

Só Um Filme Muito Bom

Ok, ok...
Admito que sou muito insensível às vezes, mas de tempos em tempos surgem coisas que me abalam e fico mais desorientado do que bússola numa mina de ferro.

Pois não é que logo no meio dessas belas férias, me surge um momento desses...
A ocasião? Um filme. "O curioso caso de Benjamin Button".
Nem vou descrever o filme nem nada.
Só quero falar das minhas impressões.

Puta filme bem feito!!
Uma história muito interessante e que confesso que me fez pensar na vida, e em como as coisas parecem sem importância ao mesmo tempo em que também são imprescindíveis na vida.
Só assistindo pra entender.
Logo vou atrás do tal livro em que o filme se baseou. Não deve ficar pra trás em qualidade.

Acho difícil encontrar filmes que mexam comigo à tal ponto.
A maioria não passa de diversão e passa-tempo.
Saí atordoado da sala de cinema e a única grande coisa que consegui pensar imediatamente após assisti-lo foi: "a vida é um saco e ao mesmo tempo é a coisa mais maravilhosa que existe".

Idiota da minha parte, eu sei.
Mas, em momento algum, eu disse que eu não era um.
xP

27.1.09

Só Um Sonho Ruim

Sonhos são apenas sonhos. E nada mais. [?] [!]

Alguns dizem que sonhos são um reflexo de nosso inconsciente. Os sonhos seriam o momento em que nosso lado oculto, irracional, totalmente sentimental e impulso teria para se manifestar. "Quando a razão está dormindo, a loucura toma conta". Ou coisa do tipo.
Acredito em parte nisso.

Nossa mente é algo incrível e que muitas vezes nos prega peças, como já cantou o saudoso Billy Joe Armstrong: " ...Sometimes my mind plays tricks on me".
Pelo menos a minha faz isso. E muito, às vezes.

Ontem à noite, eu tive um sonho estranho.
Sonhei que estava numa sala de aula na faculdade, e que se tratava de uma aula de exatas.
Só isso já me desesperou.
Depois algo me chamou à atenção e acabei por descobrir que para continuar na faculdade eu teria que passar naquela temível disciplina.
Não recordo de muitos detalhes, mas lembro-me que acordei muito assustado. Desesperado até.

Medo é uma coisa estranha, não?

23.1.09

Altura ¬¬

Não sei porquê, mas uma das coisas que mais me incomoda com persistência é uma questão tola relativa à minha altura.
Desde [sempre] não sei quando tive essa vontade de ser mais alto. Hoje, já estou um pouco menos encanado com isso [um pouco!], mas lembro-me que odiava muito meus modestos 1,67m.

Se eu tivesse sido obrigado a participar ativamente daquelas extenuantes e entediantes aulas de exercício físico, talvez eu fosse um pouquinho mais alto, vai saber...
Sempre fui o típico garoto que fugia dos exercícios físicos. Era um daqueles guris que ficavam parados na hora do recreio, enquanto toda a massa infante se movimentava de um lado para o outro correndo, pulando e fazendo barulho. O garoto que [de algum jeito misterioso que até hoje não entendo] não recebia muitas faltas nas aulas de educação física, mesmo lembrando de ter matado várias e várias delas.
Só fui me interessar por essas coisas quando já estava um pouco maior, e o exercício já não faria muito efeito, sei lá...
Enfim, podia-se visualizar que não cresceria muito, ou não?

Uma altura que seria digna pra mim seria, lá pelos 1,70m, um valor simbolicamente bonito, digamos. O máximo que posso dizer é que estou à três centímetros do meu ideal, mas que também sei que nunca alcançarei.
Quer saber, isso é tudo paranóia da minha cabeça...
isso pelo menos eu posso dizer, sem medo de estar errado...
E para reforçá-la, descubro que meus ídolos também são baixinhos.
Nem falo mais nada.
Acaba o post.
Fato. xP

15.1.09

Dos Quadrinhos...

Ano novo, as coisas mudam, ou ao menos as mudanças são exaltadas.
Pra entrar no clima de mudança, mudei algumas cores e fontes no blog, nada muito radical.

Pra primeira postagem do ano, quero recortar uma passagem de uma das últimas histórias de X-Men. Quadrinhos são muito mais que simplesmente quadrinhos, pra mim já fazem parte de minha vida e não tem como eu me livrar deles, não mais! xD
Bom, aí vai uma pequena história que Wanda conta para o Fera na última edição de "Espécie em Extinção". É um conto que Wanda descreve, no maior estilo de fábula misteriosa.
Afinal, quanto se deve correr atrás de algo que parece desmoronar, e qual o momento certo de declarar todo seu esforço uma causa em vão?




""Certa manhã, um pescador foi de barco bem mais longe do que o de costume, e jogou a rede em um lugar novo. Não dava mais pra ver a terra firme, e ele estava com um pouco de medo. As pessoas disseram que coisas estranhas nadavam naquelas águas. Elas estavam certas. Quando o pescador puxou a rede para dentro do barco, uma criatura estava enroscada junto aos peixes.
Metade mulher, metade peixe.
A sereia chorou, pedindo para ser solta... Prometendo realizar todos os desejos do pescador. "Este pente no meu cabelo é mágico... e vai realizar três desejos."
O homem concordou e soltou a sereia. Depois voltou pra casa e mostrou para a mulher... que não ficou nada impressionada.
"Seu burro! Se tivesse trazido a sereia, poderíamos cobrar de cada um que quisesse vê-la... E faríamos uma fortuna em poucos dias!! Mas o que você fez? Trouxe um brinquedo! Um enfeite! Só pode ser o homem mais imbecil do mundo!"
"Você é uma bruxa"
, respondeu o homem irritado, "Só gosta de brigar comigo e me espezinhar, mulher! Se não vê minhas qualidades, eu queria que você não tivesse olhos!"
O pente mágico brilhou e o pescador se deu conta de que tinha falado demais. Mas as palavras já tinham saído... e não poderiam ser desditas.
A mulher ficou cega na hora. O rosto, liso no lugar dos olhos. Furiosa com o marido, ela pegou o pente mágico.
"Se é pra eu ficar cega, quero que você ganhe mil olhos... pra enxergar sua burrice noite e dia!"
E assim nasceram olhos em todo o corpo do pescador: mãos, braços, pernas, peito... Ele virou um monstro, ainda mais feio que a mulher.
Os dois sentaram na cozinha e discutiram sobre de quem seria a culpa. Um acusou o outro sem parar... por muito tempo. Mas os dois não tinham escolha.
No final, o pescador usou o pente mágico pela terceira vez.
"Eu quero que nós voltemos a ter quatro olhos!"

O pedido foi atendido... de certa forma. A mulher recuperou seus dois olhos normais e um terceiro surgira no meio de sua testa, enquanto o homem ficara com um único e enorme olho acima do nariz, como um ciclope.
No dia seguinte, ele remou até alto-mar e devolveu o pente à sereia.
"Se estiver interessado, também tenho um brinco mágico, senhor", disse a sereia sorrindo.
Mas o pescador estava farto daquela brincadeira..."

"Sobre o que está me avisando, Wanda? Que não devo perguntar quem você realmente é?" "Quem sou eu? Uma mulher que o senhor conheceu num café. Não te conheço, nunca visitei teu país... e provavelmente nunca vou visitar. Mas as pessoas têm um certo brilho nos olhos quando estão procurando sinais.
Quando tentam criar coragem pra fazer algo que, no fundo, sabem que é errado. O senhor tem esse olhar.
Então sim... É possível ter o desejo realizado e a situação ficar pior do que antes.""

Muito foda! xP
Fazia tempo que não ficava tão empolgado lendo quadrinhos...
É muito coisa de nerd, mas não to nem aí! hahaha
Nessa passagem da história dá pra perceber muito o desespero do Hank com os mutantes acabando e talz. E a Wanda na dela, enigmática.

Essa última saga do Fera dá muito pano pra manga pensar.

Até onde você iria atrás dos seus objetivos?
Ultrapassaria seus limites morais?
E no caso de Hank, os limites científicos?
E ainda, como se certificaria que deve mesmo "consertar" o problema?
Aquilo pode ter acontecido porque TINHA que acontecer, não pode?

Estava "escrito" ou coisa parecida?

Não é uma questão de história de quadrinhos apenas, tem muito mais do que apenas superpoderes e lutas heróicas nessas histórias.
E ainda bem que consigo perceber isso.

Foi uma bela história, e perfeita pra esperar pela próxima saga: "Complexo de Messias".
Atémais!