28.10.07

|n$ÔnI@

Já faz algum tempo que não durmo realmente bem, já estou me acostumando a dormir só umas 4, 5 horas por noite e sei, sim, que isso realmente não é bom.
Mas é algo que não depende de mim, poxa, acha mesmo que eu gosto de ficar acordado durante a noite sem conseguir dormir direito e depois ficar um trapo o resto do dia todo?! Claro que não!!
Tenho tido uma companhia, no entanto, em algumas noites. Aquele joguinho de celular: Rapid Roll. De tanto passar noites jogando, já estou até bom no jogo e com aqueles objetivos doidos do tipo: "Um recorde por noite!". =P
Não sei se tem algo a ver, mas com as reduzidas horas de sono, as vezes em que sonho diminuíram praticamente à zero. Poxa vida! Como diriam alguns...
No último sábado, porém, ocorreu um fato singular: consegui sonhar. Mas não foi algo bom, foi um pesadelo... Algo misturando "Pânico" com "Psicose" e "Eu Sei O Que Voces Fizeram No Verao Passado" e outras pérolas do gênero xD... Sinistro mesmo, já contei pra algumas pessoas e foi realmente com muita adrenalina! hahahaha
O lado bom (se é que é realmente bom!) de fiar acordado é poder ouvir coisas que não se ouve normalmente durante o dia, coisas realmente diferentes e muitas vezes estranhas... Por exemplo: dá pra ouvir melhor o som do vento, dá pra ouvir um carro passando, vindo de muito longe, dá pra ouvir as pessoas causando na madrugada muitas vezes já bêbadas depois da balada, etc, etc...
Cachorros latem muito à noite e de madrugada ou sou eu que não percebo isso de dia?! Sei lá... será que eles não dormem não? Ou talvez são insones que nem eu...
Ah só pra constar, to postando isso às 2 da manha do sábado dia 27... Não sei se o blogger coloca a hora certa =P
Se algum insone estiver lendo isso de madrugada agora, deixa um post aí!! xD
T+ galera Abçs

20.10.07

Nos episódios anteriores...

Pra quem é fã de seriados essa frase é muito significativa... hehehe
Então, esses últimos episódios (ou dias das minha vida) foram realmente bons. É estranho, até mesmo pra mim estar admitindo esse fato, mas é a verdade. É bom se sentir bem consigo mesmo e poder passar essa "coisa boa" pra quem a gente gosta.
Nos últimos episódios, o personagem central de minha vida foi a três festas muito boas acompanhado dos colegas da facul. É muito bom ter esse momento com a galera com quem você se estressa a torto e à direito todo dia durante as aulas e trabalhos de grupo.
São nesses momentos de descontração que nos enturmamos, nos aproximamos e, claro, devido aos "efeitos de festa" nos abrimos uns com os outros.
Lembro-me agora, indo embora de uma das festas com meu amigo Gabriel. Ambos andando por uma descida, encaramos uma "escada sem degraus"... Na hora, paramos e devido ao atordoamento proveniente dos "efeitos de festa" ficamos sem saber o que fazer, até que fomos em frente e pulamos por essa "escada". E então concluímos que, na verdade era uma rampa... xD
(Pra quem não entendeu, esse foi um ótimo exemplo sobre o método científico: análise, interpretação, experimentação, formulação de hipóteses, etc... É só olhar com atenção que você percebe).
E durante as filosofações da semana algumas idéias retornaram a pauta de sempre... O que fazer da vida na facul: será que estou no curso certo e coisas afins... Isso tem tomado muito do meu tempo, e só me deixa cada vez mais nervoso com o fim do semestre chegando e a hora de decidir chegando também. O que é ser (in)fiel pra você: esse já é asunto muito manjado, todo mundo já deve ter participado desse debate... questões sobre limites entre amizade e amor, ciúmes, ciúmes e ciúmes... xD O que será do mundo com o aquecimento global: isso é realmente sério, mas não tão sério quanto a mídia aponta, mas também não dá pra desconsiderar. Esses papos da facul já estão me deixando doido, e olha que estou no primeiro ano! xD
Mas o papo mais interesante foi comigo mesmo, claro, fiquei pensando sobre fatos acontecidos e cheguei a conclusão de que todo mundo gosta de sentir que alguem gosta dela. Acho que é intrínseco à nossa existência... mesmo que esse gostar seja meio falso, existe isso dentro de todo mundo. E é isso que muitas vezes nos machuca e que parece que nunca conseguimos nos livrar, afinal é "natural" nao é?
Essa semana acabou bem, e como disse eu nao me sinto assim toda vez. A próxima semana não vai ser tão trankila quanto essa, entao é melhor aproveitar esse resto de semana!
Abçs galera t+

11.10.07

É você mesmo??

O que faz com que você seja você mesmo?
Já parou pra pensar em alguma marca, algo que te diferencie, te deixe único?
Já conseguiu encontrar em você mesmo algo que te destaque no meio da multidão?
Você sabe o que as pessoas lembram quando pensam em você? Sabe qual é a imagem que elas associam à você?
É difícil, pelo menos para mim, enxergar essa "marca", mas sempre que penso nisso vem à minha mente algo mais sutil. Algo como se o que nos tornasse único não nos fosse visível aos olhos, como se o que nos tornasse diferente não desse para ser comprado numa loja.
Se eu fosse procurar uma analogia à isso, acho que eu colocaria o conceito de alma, essa espécie de aura que é diferente para cada um de nós e que segundo as crenças guarda a nossa "essência".
Isso é praticamente uma crítica à tudo que existe atualmente. Nos dias de hoje, não importa a sua essência e sim sua "embalagem", e coisa e tal né. Todo mundo já deve estar cansado de ver e ouvir isso, mas eu, pode-se dizer, mudei essa minha visão de mundo. Apesar de sempre parecer que toda essa história de "exterior" valer mais que o "interior" seja infalível sempre (como eu sempre pensei) há algum tempo tenho visto que nem tudo é tão infalível assim.
É galera, acho que finalmente entendi essa lógica do mundo de "não generalizar" e "cada caso é um caso", parece meio utópico ou bobo e inocente mas tem vezes que realmente vale mais o que se tem por dentro.
Putz, por hoje tá bom, meu interior tá pedindo pra descansar...

6.10.07

Em Só Uma Semana...

Muita coisa acontece em uma semana.
Mas o que me aconteceu nessa, vai ficar guardado pra sempre.
É, desde o começo do semestre já estávamos avisados sobre essa viagem de campo na primeira semana de outubro.
Ficamos naquela expectativa. Ansiedade, doentia mesmo. Sobre o que veríamos, o que faríamos e como seriam nossas festinhas de campo, claro.
Bom, na segunda vimos alguns afloramentos rochosos na estrada. Não foi algo extraordinário, apenas interessante. Mas na terça já vimos que essa viagem seria A Viagem.
Chegamos em Campos do Jordão, um frio aterrador mas tudo bem, era um dos pontos mais esperados. E era aquele frio que nos fazia lembrar que realmente estávamos em Campos Do Jordão.
No dia seguinte, fomos pra um parque chamado de Pedra do Baú. Fomos pela trilha da pedra do bauzinho e tiramos muitas fotos. Eu, pelo menos, fiquei maravilhado com aquela vista.
Me senti um nada, e ao mesmo tempo me senti um gigante sobre todas aquelas nuvens.
Uma sensação muito boa, e ao mesmo tempo muito estranha. Aquele momento lá em cima parece ter acendido algo dentro da galera, algo do tipo: "O que estou fazendo aqui emcima?" ou então "Que sorte eu tenho de fazer um curso desses" e no meu caso: "Se estamos aqui no terceiro dia, imagine o que está por vir".
Quarto dia: o esperado litoral paulista. Chegamos à costa e a vista lá de cima daquelas serras é indescritível. Chegamos à pousada e vamos dormir, mal conseguindo esperar para ir ao mar no dia seguinte.
E o dia seguinte chega e vamos pelas praias de Ubatuba, vendo as praias de um ponto de vista geomorfológico e as interações entre o mar e o continente, os mangues, grutas e tal.
Na sexta feira, fomos para a Ilha de Anchieta, de barco, óbvio. Eu não me senti muito bem no barco mas dizem que o passeio foi muito legal. A ilha também, sem comentários, só com fotos mesmo. Curtimos muito as praias de lá e também o antigo presídio da ilha. =P
Pra terminar nossas última noite de viagem, uma festinha pra ninguém botar defeito.
Sábado, último dia, fomos basicamente ver um pouco dos sedimentos da praia e depois emendamos até o almoço naquela bela praia de violentas ondas de Ubatuba. E o pior de tudo é que eu já estava todo morto de nadar a semana inteira... as ondas me levavam arrastando de um lado para outro. Me senti como um sedimento sendo depositado xD.
Pois é, sete dias e uma viagem incrível mesmo. Das montanhas ao mar, de um ao frio de Camposcalor na estrada... É incrível isso, a única palavra que encontro pra isso: Íncrivel.
Como nada dura pra sempre, a viagem de campo acabou =[
Mas com a quantidade de fotos tiradas por todo mundo, da pra eu postar muitas aki e no fotolog hehehe.
Bom é isso...
Ah e da próxima vez que pegarem a estrada prestem atenção nos afloramentos de rochas que se vêem no caminho e na ocupação humana nas zonas de movimento de massa nos morros, é incrível... xD