7.7.09

The Tide Is Turning, Turning Us Away

Desventuras e tensões do fim de temporada.
As horas passam devagar como em câmera lenta.
Uma música toca ao fundo
E você sabe que ela é direcionada pra você.
A melodia diz que as coisas estão virando,
Se modificando, já que você mesmo já é outro.
E tudo já é diferente.

Os olhares se concentram numa única cena final

Que ainda espero.
E continuarei esperando até o momento certo.

Vislumbres de um futuro que conheço
E flashes de um passado que esqueci.
Caminhos entrecruzados que levam à lugares privados
E de proprietários egoístas.
Placas indicam que o começo é o fim
E o fim é inalcançável.
Desista.

Não sei se é bom ou ruim
saber agir da maneira "certa"
quando se quer desesperadamente o "errado".
Mas a estrada continua
E eu idem.
Sempre.

*trilha sonora: Tabitha's Secret com Forever December.

1.7.09

Back Where I Belong [maybe]

Nas últimas semanas fui até a grande metrópole brasileira: São Paulo.

Depois de um certo medo inicial de enfrentar esse verdadeiro monstro urbano, tudo pareceu correr mais fácil do que aparentava.
E realmente foi fácil. hehe

O objetivo pra se ir à Sampa?
Um show do The Kooks. É, eu fui! ehauiehauieuieauieuieiaheuhaehaeuiheuihauihaeuhaeuihuae [estou seriamente desequilibrado psicologicamente devido à esse e outros fatos, mas continuarei a postagem]

Andar de metrô foi algo que eu estava esperando muito.
E ao mesmo tempo que se mostrava algo tão simples, causava-me uma sensação extremamente interessante e nova.
Afinal, por ter nascido em Sampa devo ter percorrido metrô com a idade de um ano, e agora, dezenove anos depois, boto meus pés por lá de novo.

É até meio poético. ehauiehihaeuiaheuiaeheaeuauiaehaeahehuiea [eu disse...]


Pude presenciar também a tal correria que todos comentam da
Grande São Paulo.
Tanto no que diz respeito à ser empurrado pela multidão das estações de trem e metrô, quanto ao momento em que eu mesmo estava andando apressadamente, sendo que não havia a menor necessidade.

Se já sou acelerado normalmente, acho que em Sampa encontraria o tal "habitat" perfeito. Correria alucinante o tempo todo e que [o mais importante] que nunca dorme! xD [esboço de uma futura meta? quem sabe né...]

Outro fato alardeado por minha mente fértil foram os
arranha-céus.
Arquitetura é uma das coisas mais incríveis do mundo.
Todos aqueles elevados edifícios reluzindo com seus vidros ao sol.
Enfim, coisas simples [ou não] que me atiçaram a atenção nesses dias paulistanos.


Uma coisa que posso confirmar depois disso tudo, é o que um amigo disse: "a vida depois dos vinte é outra", parece até excepcionalmente bobo relacionar isso à uma "simples" viagem, mas são esses "simples" fatos que constituem a vida que temos, né?
O fato é que dia 19 [dia perfeito] foi meu
primeiro show e nada melhor do que boa música pra começar uma nova década de caminhada! xD