11.4.08

Estranhos Momentos

Não existem momentos certos para ser você mesmo
e muito menos momentos certos para dizer o que se pensa,
Momentos que nunca deveriam surgir e que depois que o usamos,
desejamos que aquilo nunca tivesse nos sido dado.

Belos e terríveis são os momentos de solidão,
alegres e agonizantes meus momentos de multidão,
enquanto que tristes e reais os momentos de solidão entre a multidão.

Momentos em que é necessário que se aperte o 'stop'
e de um 'rewind' e em seguida um 'slow-motion'
Só assim pra se digerir certos momentos que se passam rápido demais
para serem compreendidos no exato momento.

Estranhos momentos de confusa sobriedade
e anormais momentos de alterada realidade,
nas quais tudo se converge em silenciosos momentos em que
Contínuas memórias recém guardadas
dividem espaço com as memórias de momentos passados, uma quase vida deixada pra trás,
e aguardam o espaço de momentos futuros.

Pra que aguardar o momento futuro
se o momento presente lhe demonstra total atenção?
Por que imaginar os futuros momentos
se vale mais a pena reavaliar os momentos passados?

Nesse momento não sei e
não sei se em momento algum quero realmente saber...