27.6.09

movimento. e evolução.

Olhos vidrados. Cabeça baixa. Boca seca.
Respiração ritmando sob seu peito.
Ouvidos ocupados com o mp3.

O pensamento frenético. O mesmo pensamento recorrente.
A mesma assombração a atuar.
Um diferente sentimento a vingar.
Ou apenas um novo jeito de se visualizar.

Passos rápidos. Conversas triviais.
Letras passam pelo olhar. Avisos surgem do nada.
Mas não permanecem.
A mente voa.

Um aperto na garganta.
Uma troca de olhar. Um desconforto no ar.
Palavras definem o mais difícil.
E então, é hora do tempo agir.

E ao mesmo tempo surgem o novo e a lição de outrora.
O tempo atrasado parece se corrigir.
E através do destino se concilia numa perfeita harmonia.
Harmonia que parecia extinta.
Mas que se desvela e brilha em meio à confusão do presente.