5.3.10

Hora da Bagunça!

As coisas mais bonitas e as mais terríveis parecem poder, sempre, ser visualizadas na infância. Desde os mais singelos gestos de amizade aos momentos solitários que, só sendo criança, pode-se entender.



Quem assistiu "Onde Vivem Os Monstros" ["Where The Wild Things Are"] pode concordar comigo.

O garoto Max, ao se sentir sozinho e assustado em casa, refugia-se numa ilha onde habitam simpáticos [e outros nem tanto] monstros. Através da relação entre eles, o garoto e o monstro Carol se identificam e tornam-se amigos.

É fácil ver como ambos não sabem agir frente ao medo e à solidão [coisa que muita gente grande também não sabe lidar] e, como o garoto, vivendo entre os novos amigos, amadurece e percebe que mesmo quando as coisas não são como se espera, também pode-se ter bons momentos.




A cena da "hora da bagunça", quando o garoto é coroado "rei" da ilha, é aquela típica manifestação da liberdade sem o peso da responsabilidade. Afinal, nada mais importa além da competição sobre quem consegue fazer a maior bagunça em menos tempo...

Impossível não se emocionar nem um pouco ao assistir esse filme.
Só alguém extremamente insensível passaria por esse filme sem se identificar, pelo menos um pouco, com as atitudes e sentimentos da criança e dos monstros. Talvez com Judy, que sempre revela seu pessimismo frente à vida; ou Ira, o par de Judy que faz tudo por aqueles que de quem gosta; Alexander, com seu complexo de inferioridade; ou Douglas, com um companheirismo inabalável pelos amigos; ou, no fim, por KW, que protege os amigos à qualquer custo.

Grande lição destes "monstros" [metaforicamente tão reais] que, algumas vezes, acabam por brigar entre si mas que, no fundo, sabem que estão ligados e que são melhores juntos do que separados.

É aquela velha história: quando as pessoas machucam umas às outras, não basta perdoar ao próximo, é preciso se perdoar também.
Filme interessante, principalmente pra se ver como os lados de "criança" e "selvagem", que habitam em cada um de nós, continua existindo, mesmo depois que a infância já foi deixada bem lá pra trás. Profundas emoções... hehe

6 comentários:

R@mon_Vitor disse...

QUER MUITO ESSE FILME E O LIVRO TAMBÉM UHAUHAUAH

quero assim mesmo, em caixa alta, porque é urgente uahuaha

Geraldo Brito (Dado) disse...

Estou muito curioso para assistir a esse filme...

li disse...

ah, ainda não vi esse filme... Mas parece ser bem bacana.

Ковёр-самолёт disse...

que coisa. ainda ontem voando pra sao paulo, vi esse filme nas opções de exibição a bordo, mas não dei muita atenção. se tivesse lido seu texto antes, com certeza teria assistido-o, ao invés do mela-cueca do Lua Nova. tendo dito isto, do ponto de vista moral e cultural do típico cidadão brasileiro diante de tais situações, só posso dizer o seguinte: porra!

Guilherme Iamarino disse...

Cara, já vi o livro e é muito massa!!

Bom, quero muito ver o filme...

Achei muito interessante...

Aonde vivem os monstros...

em ingles a melhor tradução seria, Aonde vivem as coisas selvagens...
Acredito que todos nós temos um pouco de um "Coração Selvagem" em nós...
massa...da hora esse post!

Amanda disse...

haha.....depois q ver o film eu comento