6.7.10

Oficina do Diabo

Queria poder vir aqui e dizer algumas coisas interessantes.
Exaltar o fim do semestre e o começo do último ano.
Bendizer o ócio maldito que têm se iniciado.
Ou mesmo vir reclamar mais um pouco dos excessivos deveres e obstáculos desse período que passou. Mas não.
Não tenho vontade ou ânimo ou razões pra fazer quaisquer das ações citadas acima.

Parece que quando não sobra mais nada capaz de te fazer ir pra frente mais alguns passos ou erguer-se contra o sol em uma nova manhã, as coisas perdem um pouco de sua cor habitual.
Estranho como todo santo dia insiste em parecer e se tornar igual e todas as simples coisas se repetem num ciclo vicioso odiável.
"Odiável" talvez seja a palavra mais recorrente nesses pensamentos diabólicos que persistem mas, claro, sempre com um sorriso bobo no rosto.

Numa solidão inquietante, parece que tudo anda bem mais devagar e bem mais rápido do que o normal. Aquelas tais forças que habitualmente me faziam insistir em correr atrás de algo bom já se esgotaram e tenho minhas dúvidas se se reerguerão tão cedo.

Enfim, às vezes parece que o ócio realmente é a Oficina do Diabo.

Nenhum comentário: