28.3.09

Simplesmente: Tudo.

Finalmente o sol se põe,
E posso ver que a lua ainda está lá.
Tudo que quero é contemplar o nada entre eu e você,
E tudo que posso entender é algo que não consigo mais sentir.

Um dia talvez, eu faça sentido pra alguém
Um dia talvez, eu entenda o sentido que tenho
Um dia talvez, eu sinta tudo o que não escolho sentir.
Um dia, tudo isso.


Às vezes, a pressão da vida aumenta,

Aumenta tanto que te deixa sem ar.
Tudo gira, sem fazer sentido.

Ansioso, asfixiado, tonto.


Um sopro de vida pra te despertar.

E tudo parece desmorecer.
Tudo passa a desacelerar.

Porque às vezes tudo o que se quer é respirar.